sábado, 23 de abril de 2011

O tempo, o amor e a paixão




a gente vai aprendendo que com o tempo as coisas tornam-se maiores, mais intensas ou que se não forem verdadeiras o mesmo tempo propõem quem elas acabem por dissipar-se.
É...o amor por exemplo, quando verdadeiro, quando amor em absoluto, quanto mais o tempo passar, quanto mais dias se fizerem por ele, maior e mais forte ele será. A paixão, por sua vez, com o passar dos dias, corre o risco irrefreável de confundir-se, de aniquilar-se.
Falando agora, não mais do tempo e o que ele acarreta ao sentimento verdadeiro que é o amor, falemos pois, então, do próprio amor também da paixão e suas vicissitudes...suas transformações e suas subjetividades.
O amor se diferencia da paixão por exemplo, justamente no tempo de duração(olha o tempo aparecendo na discussão novamente...desculpe, foi inevitável)pois o amor é para sempre, vem da natureza divina, já a paixão vem da natureza do homem, da carne. A paixão é aquilo que te enlouquece, que te faz perder horas de sono, que te leva a perder a fome e a cometer loucuras,é egoista é violenta e de pouca duração, pode se transformar em ódio. O amor te acalma, te transforma, te faz bem. Ele é cuidadoso, é profundo e continuo, não pensa em seu interesse, amor jamais se transforma em ódio, é a paixão que desperta o desejo de fazer o mal, o amor jamais faz o mal.
Quando no encantamento primeiro por alguém, é claro, mas nao regra, que a pessoa passe pela paixão, mas quando o amor toma o espaço dentro dela, a paixão fica em segundo plano, se torna plano de fundo nessa relação, e não mais ocupando o topo na escala de prioridade.
O amor e a paixão podem caminhar juntos, acredito. Mas para dar certo, para fluir, é preciso ter muito mais de divino que de carnal. É preciso muito mais de amor, que paixão...Com amor, relações duram uma vida inteira, já, apenas com paixão, não durará muito mais que dois a três anos...
Penso que o respeito em uma relação é primordial, e que esse respeito não tenha nada a ver com paixão, no entanto é o alicerce do amor.
O alicerce da paixão é a loucura, o tesão...e nenhuma relação há de perdurar se tiver tesão apenas como base, como estrutura.

A paixão é louca, burra é carnal, o amor é sábio. A paixão é cega, e o amor revela.
Quem mata, mata por paixão, jamais por amor, como dizem os assassinos passionais. E isso fica claro, com o próprio nome do crime: crime passional= crime por paixão.
LEMBRE-SE: O AMOR, JAMAIS FAZ O MAL, JAMAIS DESEJA O MAL.




post Inspirado a partir de uma palestra ministrada num culto evangélico.
;]

2 comentários:

  1. Tô precisando de paixão na minha vida!! Só o amor não basta.

    ResponderExcluir
  2. hahahaha, ehh, paixão eh bom!

    ResponderExcluir